Fabiana fala da importância do apoio

Fabiana, mãe da Malu, fala da importância de grupos de apoio e da sua volta ao trabalho.

E vocês frequentam grupos de apoio?

 

 

Anúncios

A Tati Tardioli nos conta sua vivência com Nina, a importância do vínculo estabelecido entre mãe e bebê.

Tati também nos lembra que ela pode amamentar na primeira hora, sabemos que no nosso país nem sempre os protocolos hospitalares podem esperar para que o bebê mame.

Você sabia que se todo bebê mamasse logo na primeira hora depois de nascido seria salvo 1 milhão de bebês? Você sabe a importância de amamentar na primeira hora?

“‘1-  as mães que amamentam logo após o parto têm maior chance de serem bem sucedidas na prática da amamentação;

2- Outra alimentação  oferecida ao bebê pode ocasionar lesões ao intestino imaturo do bebê

3- Previne Ictericia

4-O colostro fornece a nutrição que um recém-nascido necessita, além de ser sua primeira forma de imunização

5-  Ajuda a mãe a produzir leite suficiente para a próxima mamada.

6 -Ajuda a estabelecer o reflexo de sucção do bebê, que é muito forte na primeira hora.

7 –  Ajuda na prevenção da hemorragia pós-parto.

8 -Propicia o contato pele a pele e o calor que o bebê necessita nesta fase, particularmente o pré-termo.

•9 – Beneficia, em especial, o bebê de baixo peso, que corre mais risco de morrer e necessita de mais apoio para realizar uma sucção efetiva

Leia um pouco mais sobre isso clicando aqui e este aqui

 

Veja um pouco do lindo trabalho da Tati clique aqui

Maria Julia conta o que é a IBFAN


Maria Julia, filha da Rosana presidente da IBFAN, nos conta que foi amamentada até 2 anos e meio fala da importância para sua saúde e ainda compartilha o que é a IBFAN.

A IBFAN é uma rede internacional que foi fundada após a aprovação do Código Internacional de  Comercialização de Substitutos do Leite Materno, há mais de 30 anos. No Brasil, esta rede, esta presente desde 1988.

Graças a atuação desse grupo, o Brasil tem uma das melhores regulamentações mundiais sobre o assunto, isto porque sua abrangência é maior que a do Código Internacional .

O Código no Brasil é composto por uma Lei : 11265/06 , pela RDC 221 e222/02 e pela Portaria 2051/01.

Regulamentar a venda desses produtos é uma forma de proteger legalmente a população, principalmente as mulheres e as crianças, do marketing abusivo de empresas que fabricam/distribuem substitutos ao Leite Materno.

 Todos nós sabemos que Leite Materno é a melhor forma de alimentar uma criança em seus primeiros anos de vida e a substituição desta alimentação representa um grande lucro para estas empresas.

Gostou? Quer conhecer um pouco mais do trabalho desta linda rede? entre aqui

01 – Ana Clara e Paola contam o que é mamar para elas

Ana Clara e Paola, filhas de Flávia Gontijo e Fabíola Cassab, contam como é mamar com seis anos de idade.

“Pesquisas mostram que o leite materno durante o segundo ano de vida da criança continua sendo uma importante fonte de nutrientes, especialmente de proteína, gorduras e vitaminas. No segundo ano de vida, 500ml de leite materno proporciona à criança: 95% do total de vitamina C necessário 45% do total de vitamina A necessária, 38% do total de proteína necessária, 31% de caloria do total necessária. Alguns médicos podem pensar que a amamentação vai interferir em relação ao apetite da criança para outros alimentos. Contudo não existem pesquisas indicando que a criança amamentada têm maior tendência a recusar outros alimentos que a criança que já desmamou. Na verdade, a maioria dos pesquisadores em países subdesenvolvidos, onde o apetite de uma criança desnutrida pode ser de importância vital, recomendam que a amamentação continue para crianças com desnutrição severa.

Crianças maiores que ainda amamentam adoecem menos – Os fatores de imunidade do leite materno aumentam em concentração, à medida que o bebê cresce e mama menos. Portanto, crianças maiores continuam recebendo os benefícios da imunidade. Claro que em boas condições de saúde, o desmame não é uma questão de vida ou morte, mas a amamentação por mais tempo pode significar menos idas ao pediatra. Crianças entre 16 e 30 meses, que ainda são amamentadas, adoecem menos e por menos tempo que as que não são.

Crianças amamentadas têm menos alergias -Está bem documentado que quanto mais tarde se introduz leite de vaca e outros alimentos alergênicos, menos provavelmente essas crianças vão apresentar reações alérgicas.

Crianças amamentadas são mais espertas – Crianças que foram amamentadas têm melhor performance na escola e maiores notas . Os autores desse estudo, que acompanhou crianças até os 18 anos descobriram que quanto mais tempo as crianças são amamentadas, maiores as notas que recebem nas avaliações.

Crianças amamentadas são mais ajustadas socialmente – Um estudo com bebês amamentados por mais de um ano mostrou uma ligação significante entre a duração do período de amamentação o ajustamento social em crianças de 6 a 8 anos de idade.  Nas palavras dos pesquisadores: “Existem tendências estatísticamente significantes para que a desordem na conduta diminua com o aumento da duração da amamentação”. Mamar durante a infância ajuda bebês e crianças a fazer uma transição gradual. Amamentação é um amoroso jeito de atender as necessidades dasa crianças e bebês. Ajuda a superar as frustrações, quedas e machucados e o stress diario da infância.

Atender as necessidades de dependência da criança, de acordo com o tempo único de cada criança é a chave para ajudar a criança a alcançar sua independência. Crianças que conquistam sua independência em seu próprio ritmo são mais seguras dessa independência que as crianças forçadas a isso prematuramente.

Amamentar crianças maiores é normal – A “American Academy of Pediatrics” recomenda que as crianças sejam amamentadas por ao menos todo o primeiro ano de vida, e por mais tempo se a mãe e o bebê quiserem. A Organização Mundial de Saúde reforça a importância de amamentar até os dois anos de vida ou mais.  A média de idade de desmame, em todo o mundo é de 4,2 anos. 

Mães que amamentam por mais tempo também são beneficiadas -· A amamentação prolongada pode diminuir a fertilidade e suprimir a ovulação em algumas mulheres

· A amamentação reduz o risco de câncer de ovário
· A amamentação reduz o risco de câncer de útero
· A amamentação reduz o risco de câncer de câncer de endométrio
· A amamentação protege contra osteoporose. Durante a amamentação a mulher experimenta uma diminuição na densidade óssea. A densidade óssea de uma mãe que está amamentando pode ser reduzida, em geral em 1 a 2%. No entanto, a mãe tem essa densidade de volta e pode até ter um aumento, qaundo o bebê é desmamado. Isso não depende de um suplemento adicional na alimentação da mãe.�
· A amamentação reduz o risco de alguns tipos de câncer de mama.
· A amamentação tem demonstrado diminuir a necessidade de insulina da mãe diabética.
. Mães que amamentam têm tendência a perder o peso extra adquirido na gravidez mais facilmente.”‘

TEXTO retirado do site das Amigas do Peito. clique aqui e confira

Amamentar uma criança que anda e que tem dentes pode causar espanto entre as pessoas, veja este texto da Dra. Elza Giugliane que mostra um parâmetro cultural, clique aqui.

Sabemos que a amamentação prolongada traz vantagem inúmeras vantagens depois na vida adulta. Veja esta aqui.

02 – Roselene a maior mamífera da materna!

A Roselene é mãe de três lindas meninas e uma das antigas maternas. Ela compartilha conosco como foi a descoberta da amamentação  ao longo da sua maternidade e logo percebemos o seu empoderamento como mãe e mulher.

Quando Roselene atinge um grau de empoderamento maior ela amamenta sua filha caçula de maneira prolongada.

O que é amamentação prolongada? quando uma criança é amamentada mais de dois anos (o mínimos recomendado pela OMS)

Hoje gostaríamos de compartilhar esse texto de Paulo Freire que fala de empoderamento clique aqui

3. Milagre da vida!

Nas palavras da própria Ana Julia Colameo, pediatra master-defensora da amamentação: são 30 anos estudando a ciência em torno da lactação, para entender a amamentação, como e porque…Todas as mudanças nas mulheres, desde a puberdade, gestação, durante o parto e depois, nos primeiros anos de vida do bebê…e sempre me espanto! Sinto que amamentação é a parte visível do milagre da vida…é a segurança para que esse milagre continue… Amamentação é vida!
Precisa dizer mais?!…

04 – Qual a importância da SMAM?

Marcus Renato, pai pediatra e criador do portal aleitamento.com, compartilha conosco a importância da iniciativa da Waba em promover as semanas mundiais de aleitamento materno.

O que é a Semana Mundial de Aleitamento Materno?

“‘A Semana Mundial de Aleitamento Materno faz parte de uma história mundial focada na Sobrevivência, Proteção e Desenvolvimento da Criança.

Desde sua criação em 1948 que a Organização Mundial de Saúde – OMS tem entre suas ações aquelas voltadas a saúde da criança, devido a grande preocupação com a mortalidade infantil. Em 1990, de um encontro organizado pela OMS e UNICEF resultou um documento adotado por organizações governamentais e não governamentais, assim como, por defensores da amamentação de vários países, entre eles o Brasil.

O documento chamado “Declaração de Innocenti” apresentou quatro objetivos operacionais:

• Estabelecer um comitê nacional de coordenação da amamentação;
• Implementar os “10 passos para o sucesso da amamentação” em todas as maternidades;
• Implementar o Código Internacional de Comercialização dos Substitutos do Leite Materno e todas as resoluções relevantes da Assembléia Mundial de Saúde;
• Adotar legislação que proteja a mulher que amamenta no trabalho.

Com o objetivo de seguir os compromissos assumidos pelos países com a assinatura do documento, foi fundada em 1991 a Aliança Mundial de Ação pró-Amamentação – WABA. Essa Organização criou no ano de 1992 a Semana Mundial de Aleitamento Materno, para promover as metas da “Declaração de Innocenti”.

A Semana Mundial é considerada como veículo para promoção da amamentação. Ocorre em 120 Países e, oficialmente, é celebrada de 1 a 7 de agosto. A WABA define, a cada ano, o tema a ser trabalhado na Semana, lançando materiais que são traduzidos em 14 idiomas. Entretanto, a data e o tema podem ser adaptados em cada País a fim de que seja obtido mais e melhores resultados do evento.

No Brasil, o Ministério da Saúde coordena a Semana Mundial de Aleitamento Materno desde 1999. Sendo responsável pela adaptação do tema para o nosso País e elaboração e distribuição de cartaz e folder. Tem o apoio de Organismos Internacionais, Secretarias de Saúde Estaduais e Municipais, Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano, Hospitais Amigos da Criança, Sociedades de Classe e ONGs ” texto retirado do site da Fio Cruz clique aqui

Para voc6e conferir as SMAMs anteriores clique aqui

Visitem o Portal Aleitamento.com um portal no ar desde 96.

05 – Adenilda e Davi mamando exclusivamente

Adenilda é nutricionista e mãe do Davi. Ela conta para a gente que seu filho é amamentado exclusivamente no peito sem dar chá, água ou qualquer outra coisa.

Em 2008, a WABA fez uma Semana Mundial da Amamentação cujo tema foi “going for the gold by supporting mothers to breastfeed”. O tema foi escolhido devido às Olimpíadas de Pequim ocorrer em agosto daquele ano e porque a WHO (Organização Mundial da Saúde) apoia que o padrão ouro da alimentação infantil é a amamentação.

Naquele ano a WABA declarou: que o “padrão ouro” para a alimentação é o LM – que inclui a amamentação imediata dentro de uma hora de nascimento e amamentação exclusiva durante os seis primeiros meses de vida, com continuidade da amamentação até dois anos ou mais. Veja o link

As mães precisam de apoio não só a iniciar a amamentação na primeira hora de nascimento, mas também para manter a amamentação exclusiva por seis meses, e continuar a amamentação por dois anos ou mais, bem como dando outros
alimentos nutritivos. Para isso devemos apoiar as mães em todos os lugares para que ela consiga alimentar seu filho dentro deste padrão. Leia mais sobre isso clicando aqui. E aqui.

Texto enviado por Flávia Gontijo e inspirada na aniversariante do dia.

06 – Bárbara cunhada da Tereza amamenta Maria Clara

Bárbara conta com é amamentar Maria Clara. Maria Clara tem 5 meses, no início foi difícil, mas depois com o encaixe perfeito a dor passou e hoje, Bárbara  sente prazer em amamentar sua filha.

Muitas vezes quando a pega não está adequada a mãe sente dor em amamentar. A pega e a posição são fatores importantes para a amamentação e o bom ”namoro”entre a mãe e bebê.

Como é uma boa pega? clique aqui e veja a foto. Qual é a melhor posição para amamentar? clique aqui. Algumas dicas que podem te ajudar clique aqui

Veja esse artigo sobre pega clicando aqui.

07 – O que o Pedro de 4 anos acha de amamentação

Esse é o Pedro de 4 anos e 5 meses ele fala o que ele pensa sobre amamentação. Pedro mamou até dois anos e 4/5 meses e acha desnecessário a mamadeira.

Já falamos de mamadeira aqui.

A mamadeira pode causar o desmame você sabe como ? cliqueaqui

Leia também este artigo aqui.

Em tempos ecologicamente corretos a mamadeira é algo ecologicamente incorreto clique aqui e leia